Saltar para o conteúdo

PROCULTURA é apresentado em São Tomé e Príncipe

  • São Tomé e Príncipe

16 de Agosto de 2019

O PROCULTURA é um projeto financiado pela União Europeia através do 11º FED.

Decorreu no dia 14 de agosto de 2019, no Camões – Centro Cultural Português em São Tomé, a cerimónia de apresentação oficial do projeto PROCULTURA PALOP-TL UE. A mesa de abertura contou com a presença do Embaixador de Portugal em São Tomé e Príncipe, Luís Gaspar da Silva, do Diretor Geral da Cultura, Myklail de Ceita, do Vice-Presidente do Camões, I.P., Gonçalo Teles Gomes, e de uma representante da Delegação da União Europeia em Libreville, Denise Molica.

Estiveram igualmente presentes membros do corpo diplomático acreditado em São Tomé e Príncipe, representantes dos Ministérios do Turismo, Cultura, Comércio e Indústria e da Educação e Ensino Superior, agentes ligados aos setores culturais e operadores nos setores da música e artes cénicas.

Foi efetuada uma apresentação do PROCULTURA, por forma a permitir aos presentes familiarizarem-se com o projeto e conhecer melhor os seus objetivos e atividades a implementar, tendo esclarecido algumas das dúvidas colocadas.

PROCULTURA PALOP-TL UE é um projeto financiado pela União Europeia através do 11.º FED, com 17.750.000,00 EUR, cofinanciado pelo Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., com 1.200.000,00 EUR, e pela Fundação Calouste Gulbenkian, com 90.000,00 EUR, e gerido pelo Camões, I.P. através da modalidade de cooperação delegada.

O Projeto visa contribuir para aumentar o emprego e criar atividades geradoras de rendimento no setor cultural nos PALOP e em Timor-Leste e destina-se a instituições de ensino técnico-profissional e de Ensino Superior com cursos nas áreas da Cultura, estudantes do Ensino Secundário e Superior, criadores e profissionais líderes nos setores culturais, operadores nos setores da música, artes cénicas e literatura, educadores e professores em escolas de formação inicial, sempre privilegiando os jovens e as mulheres, tendo como beneficiários indiretos os cidadãos consumidores de produtos culturais e todos os empregadores dos setores da cultura.