Saltar para o conteúdo

Mia Couto vence prémio Jan Michalski de Literatura

10 de Dezembro de 2020

O escritor moçambicano venceu o prémio da fundação suíça pela edição francesa da obra "As Areias do Imperador". A trilogia foi publicada em França em 2020, com tradução de Elisabeth Monteiro Rodrigues.

A triologia “As Areias do Imperador” é composta pelos romances “Mulheres de Cinza”, “A Espada e a Azagaia” e “O Bebedor de Horizontes” e narra a história do Estado de Gaza no final do século XIX, um dos maiores impérios africanos e do seu imperador, Ngungunayne. Ngungunayne foi derrotado em 1895 pelo exército português, comandado por Mouzinho de Albuquerque e deportado para os Açores, onde morreu 11 anos depois. A trilogia alia factos históricos e personagens reais com ficção para contar a luta contra a colonização portuguesa no território moçambicano.

Mia Couto foi vencedor do Prémio  Vergílio Ferreira em 1999, do Prémio união Laatina de Literaturas Românicas em 2007, do Prémio Eduardo Lourenço em 2011, e pelo Prémio Camões em 2013. A sua obra está traduzida em mais de 30 línguas.