Saltar para o conteúdo

PROCULTURA PALOP-TL forma 35 empreendedores e gestores culturais em Angola

  • Angola

21 de Novembro de 2019

O evento de encerramento contou com a presença do Secretário de Estado das Indústrias Culturas e Criativas, o Embaixador da União Europeia, o Embaixador de Espanha em Angola e o Conselheiro da Embaixada de Portugal.

No âmbito do projeto da União Europeia PROCULTURA PALOP-TL, terminou no dia 20 de novembro de 2019, em Luanda, a primeira ação do Curso de Empreendedorismo Cultural e Fontes de Financiamento, uma parceria entre o Camões, I.P. e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID).

O evento de encerramento contou com a participação de João Constantino, Secretário de Estado das Indústrias Culturais e Criativas do Ministério da Cultura em Angola, Tomas Ulicny, Embaixador da União Europeia, Manuel Ruigomé, Embaixador de Espanha e João Martins, Conselheiro da Embaixada de Portugal. O curso decorreu entre os dias 4 e 20 de novembro e nele participaram 35 empreendedores e gestores culturais em Angola.

Na opinião dos formandos Adelino Caracol e Ingrid Fortez “o curso foi importante para refletir sobre os recursos que podem gerar ativos para a cultura angolana e “para estabelecer boas conexões futuras”. Filipe Petronilho acrescentou que “o mérito desta formação foi juntar 35 elementos com diferentes experiências culturais, que culminou numa vontade unânime de desenvolver o país”.

O curso será implementado em todos os PALOP e Timor-Leste e está já agendado para Maputo, entre os dias 2 e 18 de dezembro. Tem como meta formar 420 profissionais da cultura, nomeadamente gestores culturais, empreendedores, empresários ou que exerçam funções técnicas em organizações com atividade relevante nos setores da economia cultural e criativa, públicas ou privadas.

PROCULTURA é uma Ação do Programa Indicativo Multianual PALOP – Timor-Leste e União Europeia, financiada pela União Europeia, cofinanciada e gerida pelo Camões, IP e cofinanciada também pela Fundação Calouste Gulbenkian. Tem por objetivo contribuir para a criação de emprego em atividades geradoras de rendimento na economia cultural e criativa nos PALOP e em Timor-Leste, com um orçamento de 19 milhões de euros.