Saltar para o conteúdo

Três últimos dias do festival Gala-gala oferecem cinema, música, teatro e artes visuais

17 de Setembro de 2021

Entre sexta e domingo pode assistir, no Festival Gala-gala, a peças de teatro, concertos e saraus literários, entre outras iniciativas culturais.

Esta sexta-feira, dia 17, a Associação Kulungwana exibe, às 17h, o documentário Kurika “Quem ouviu o leão rugir”, que procura dar a conhecer a história da Revista Kurika e da banda desenhada em Moçambique. Às 18h a Galeria 16 Neto promove o sarau literário Incluarte, onde serão declamados textos do livro “Sonolência e Alguns Rabiscos” de Énia Lipanga. Às 19h30, o Centro Cultural Franco-Moçambicano apresenta a performance multidisciplinar “Degradação (Re)Generativa” de Miss.

No sábado, dia 18, Nália Agostinho promove os “Quixotes plásticos”, através da pintura de uma tela gigante, com  ajuda de crianças entre os 10 e os 14.  Às 18h, a Fundação Fernando Leite Couto apresenta a peça de teatro “Chovem Amores na Rua do Matador”, uma adaptação de um conto de Mia Couto e Eduardo Agualusa, com encenação de Maria Clotilde e Victor Gonçalves. Às 19h30, o rapper Kloro apresenta “MIP-Ano 5’’, um concerto que pretende celebrar 5 anos de carreira a solo do artista e 5 anos de consolidação de uma narrativa que caracteriza a sua abordagem humanista.

No domingo, último dia do festival, o Centro Cultural Moçambicano-Alemão, dinamiza, entre as 14h e as 17h, a exibição teatral “Entre Corpo e Alma”, com a participação de Mateus Francisco Nhamuche, do Grupo de Teatro Os Anónimos e do Grupo de Teatro Fragmentos.  Às 17h30, a Associação Kulungwana divulga os vencedores do concurso fotográfico “Viagem do Plástico”.  No Museu Mafalala pode assistir, às 18h, ao concerto “Back Home”.