Saltar para o conteúdo

Etson Caminha

As sonoridades tradicionais timorenses aliadas à música contemporânea

Etson Caminha é um músico timorense que procura criar novas sonoridades, introduzindo elementos modernos e inovadores aos sons tradicionais.

Etson Caminha is a musician from East-Timor.  In 2002,  he founded the band "Galaxy"- widely considered the most famous contemporary band in the country.  In 2018, he initiated the project "Noise", which combines experimental and improvisational music with live performances, whilst also incorporating audio-visual elements. In the future, Etson Caminha wants to research about traditional music and instruments, adding value to the traditional east-timorean culture.

Etson Caminha é um músico timorense. Aprendeu a tocar guitarra em criança com um vizinho. Na sua terra natal, Los Palos, criou o grupo musical “Galaxy”, considerada actualmente a banda de música contemporânea mais conhecida em Timor-Leste. Em 2002, mudou-se com os
restantes membros da banda para a comunidade artística “Arte Moris”, em Díli. Foi nesta comunidade que aprendeu a pintar e que se desenvolveu na música.

Em 2004, tornou-se formador de música na escola informal “Arte Moris” e, em 2007, criou um grupo de precursão que utiliza objectos do dia-a-dia, semelhante ao grupo musical Stomp.

Tem apostado na música a solo, utilizando instrumentos naturais e tradicionais de Timor-Leste, combinados com equipamentos e instrumentos modernos. Em 2018, iniciou o projeto “Noise”, em parceria com um amigo. “Noise” é um projecto de música experimental e de improviso que, nas suas performances ao vivo, incluí elementos audiovisuais.

O músico procura criar sonoridades desconhecidas pelo público e introduzir elementos modernos e inovadores aos sons tradicionais. Sonha frequentemente com as músicas que produz. Para além dos seus projectos pessoais, desenvolve bandas sonoras para filmes, jingles para a rádio local, músicas para documentários e para campanhas de sensibilização de ONG.

Entre os principais constrangimentos que enfrenta, refere a dificuldade em promover o seu trabalho e a ausência de diálogo entre artistas e o poder central. Ambiciona fazer uma pesquisa sobre os instrumentos e música tradicional timorense, permitindo valorizar a cultura tradicional do seu país.